segunda-feira, 8 de abril de 2013

E por falar em Marcos Feliciano... lembre-se “All you need is love”



No fundo, no fundo, essas besteiras insanas pregadas por este ser humano imbecil e desprezível que responde pelo nome de Marcos Feliciano e que infelizmente ocupa uma cadeira no Congresso Nacional, e por umas dessas aberrações que infelizmente acontecem volta e meia, ocupa também o cardo de presidente da comissão de Direitos Humanos no Congresso. Este imbecil, apesar dos pesares, tem prestado um grande serviço ao nosso povo brasileiro, nos mostrando e relembrando o quanto é importante que um Estado seja de fato laico. Os episódios envolvendo Marcos Feliciano vêm nos lembrar do quanto é importante que respeitemos a diversidade e aqueles que divergem de nós, lembrando-nos ainda, que até para divergir é preciso que sejamos responsáveis e respeitosos.

Feliciano faz com que questionemos a importância e o poder da fé, alertando-nos sobre o uso que fazem da fé alheia para pregarem suas torpes convicções, perigosas. É preciso sempre lembrar que a mesma fé que salva e liberta, é a fé que também segrega, oprime e mata, muitas vezes com impressionante crueldade.

Apesar de na infância já ter sido coroinha, hoje não pertenço a nenhuma denominação religiosa. E para mim, não parece uma coisa assim tão óbvia o link que a maioria das pessoas fazem entre Deus e religião. E nisso concordo com minha amiga blogueira Erika. Eu também não concordo que as religiões representam aquilo que eu penso ser Deus. Acredito que as religiões apenas nos distraem e nos afasta do que de fato deveria ser Deus. E nisso Erika, concordamos!

E como deve ser Deus?
E ao pensarem neste questionamento, gostaria que os Senhores e as Senhoras esquecessem, só por um instante, o conceito deste Deus cristão, desta história manipulada por milênios com o único e megalomaníaco objetivo de manipular e dominar povos inteiros. Pense em todos os outros Deuses, os milhares de Deuses existentes na convicção de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Para mim, paira só uma certeza; a certeza de que sobre as religiões e a fé, seja cristã ou não, a única certeza que podemos ter é a certeza de que, das coisas de Deus (ou energia criadora), não sabemos e talvez jamais saibamos nada, exceto talvez, na hora da morte.

E não pensem senhores que estes homens, pastores travestidos de profetas e representantes de Deus na terra saiba responder este intrigante questionamento. Seja qual for a sua denominação religiosa, há uma linha muito tênue entre o Deus que liberta e o Deus que oprime e mata com requinte de crueldade.

“Vós sois responsáveis por aquilo que cativas.”
Quer saber o que te impede de fazer algo prejudicial ao seu próximo, ou ainda, o que te impele a praticar boas ações?
O seu caráter, apenas o seu caráter. Isso não tem nada haver com fé. Na vida ou você é uma pessoa boa ou simplesmente não é.

O universo, a vida, o mundo; aliás, a totalidade do comportamento humano, aquilo que nos faz ao mesmo tempo tão iguais e tão diferentes, esse amalgamado de coisas, sentimentos, acontecimentos, culturas, enfim, toda esta complexidade e simplicidade, o óbvio e o misterioso, penso que isso sim seja Deus, esse questionamento eterno, essa incerteza infinita, a força que nos faz levantar e enfrentar a incógnita de cada dia.

Tenho os dois pés atrás e até bastante medo de todos aqueles que tentam definir Deus e reunir pessoas para dizer que Deus ou o céu seja “assim ou assado”, dizer que Deus “gosta daquilo e detesta aquilo outro”.

Enfim; penso que Deus pode ser tudo, menos o que se diz por ai!

Acorda Feliciano!!!
Acorda meu Povo!!!

Nenhum comentário: