sexta-feira, 14 de outubro de 2011

La bici

“A bicicleta chega do passado, para ser o transporte do futuro.”

"Ia pelo quente caminho: o sol despontava brilhante, e a calorosa terra, um infinito circulo com o céu azul logo acima, desabitada.

Junto a mim passaram bicicletas, os únicos insetos daquele minuto seco do verão, furtivas, velozes, translucidas parecendo apenas movimentos de ar.

Trabalhadores e garotas iam para as fabricas entregando os olhos ao verão, as cabeças ao céu, sentados nos élitros das vertiginosas bicicletas que assobiavam cruzando pontes, rosais, arbustos ao meio dia.

Pensem nas tardes quando os garotos se banham, cantam, comem, levantam uma taça de vinho em brinde ao amor e a vida. E na porta, esperando, a bicicleta imóvel, porque só de movimento foi sua alma e ali caída não é inseto invisível que percorre o verão, mas frio esqueleto que somente recupera seu corpo errante com a providência da luz, ou seja, com a ressurreição de todos os dias."

Nenhum comentário: