segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Um ano sem meu amigo Valdo

Como o tempo passa rápido!

Pois é meus amigos! Essa semana faz um ano que meu amigo cicloturista Valdo faleceu enquanto realizava a tão sonhada viagem de Volta ao Mundo de Bicicleta.

Lembro-me de quando Valdo, Roberto Maragliano e eu ainda planejávamos realizar essa viagem juntos, do planejamento, das conversas. Valdo era um homem muito determinado, um dos poucos que conheci assim.

Numa ocasião discutimos sobre o que é ser bem sucedido. O sinônimo desta palavra é ter dinheiro e posses? Ou ter a liberdade de espírito para realizar as pequenas coisas da vida que nos deixam realmente felizes e satisfeitos?

E foi assim que Valdo decidiu viver os últimos dias de sua vida, realmente livre para realizar os seus sonhos, viver de modo simples, conhecendo lugares, pessoas e costumes, pedalando. E assim ele fez por toda a América Latina pedalando mais de 56 mil Km.

Até aproximadamente no dia 22 de fevereiro, Valdo deixou esse mundo para realizar a grande viagem, que um dia todos faremos.

O bom é saber que Valdo se foi fazendo aquilo que mais gostava e o satisfazia de verdade, andar de bicicleta.

Lembro-me de quando ainda planejávamos essa viagem juntos, e cogitamos a possibilidade de um de nós falecer durante a viagem, por um motivo qualquer, e Valdo disse sem titubear que gostaria de ser enterrado onde quer que falecesse. E assim os seus familiares o fizeram, respeitando a sua vontade.

Grande amigo pedalante pelo mundo, tu estás fazendo falta nesse mundo meu caro!
  
“Não há nada mais detestável do que fronteiras, nada mais estúpido, são como canhões e generais: enquanto reina paz, humanismo e sensatez, é como se não existissem.”
( Caminhada - Hermann Hesse )




Nenhum comentário: