quarta-feira, 22 de julho de 2009

12 Homens e uma Sentença

Produzido em 1957 com a direção de Sidney Lumet, “12 Homens e uma Sentença” figura como sendo um dos melhores filmes que já assisti. Numa trama de 96 minutos, doze jurados do tribunal do júri devem chegar a um consenso sobre a culpa ou inocência de um homem acusado de cometer um assassinato, sob o risco de condenar este homem a pena de morte.

O interessante desta trama é que dos doze jurados, onze tem absoluta certeza da culpa do réu enquanto somente um jurado defende que o réu não é nem inocente, nem culpado.

Enfrentando os outros onze jurados, o jurado numero 08 impele os seus pares sustentando sua convicção de analisar mais uma vez todos os fatos que envolvem aquele caso, a fim de que possam encontrar elementos que sustentem a inocência do réu ou pelo menos, fatores que indiquem a possibilidade do réu não ser o culpado pelo crime ocorrido. Nesta batalha retórica, além das dificuldades de interpretação do caso, o jurado numero 08 o arquiteto Davis, tem que vencer ainda a descrença dos outros jurados quanto a inocência do réu e a grande vontade que estes tem de irem para suas casas cuidarem dos seus afazeres, por acharem que estariam perdendo seu tempo discutindo a inocência de um culpado, que merecia a condenação e até a pena de morte.

No decorrer do filme vão sendo expostas as fraquezas e os preconceitos de cada jurado, que de modo em geral fizeram com que, sem grande análises, logo o "considerassem" culpado, mais em virtude de seus próprios preconceitos.

A forma como Davis argumenta e convence os outros jurados a mudarem seus votos é fantástica.

O filme mostra o quão frágil é a estrutura de um tribunal do júri formado por pessoas comuns, o conceito de ética inerente a cada um, os paradigmas que os guiam, o individualismo, a vulnerabilidade da condição humana.

“12 Homens e uma Sentença” não é um filme de ação, mas a emoção é garantida no diálogo sempre muito bem elaborado e muito rico em sua retórica, sempre apelando à lógica, chamando a atenção aos preconceitos e acima de tudo, apelando à emoção.

“12 Homens e uma Sentença” – mais que um filme, um brilhante estudo a cerca do comportamento de um grupo.

Não é muito provável que você encontre este filme nas locadoras – mas se quiser assistir, garanto que vale a pena os esforço de procura-lo.


Um comentário:

Kika disse...

Meu amigo, você sempre arrasa! Lindo Blog, bem elaborado, fácil de navegar, ágil e com esse jeitinho capixaba bem maneirinho, né? ADOREI!!!!!

Estarei sempre espiando viu?

Parabéns pela casa nova belíssima!

Carinhosamente,
Kika